Blog

    Produtos

    Cuidados com cães idosos

    Publicado em 28/12/2017

    Cuidados com cães idosos

    Como é a ordem natural da vida, os nossos bons amigos caninos também envelhecem, e infelizmente, cedo demais para nós. Mas com que idade os cães ficam efetivamente idosos?

    Com 10 anos, podemos considerar os cães idosos, época em que começam a andar mais devagar, comer e dormir menos. Mas podemos falar de forma mais precisa, segundo profissionais como a Professora Denise Schwartz, relacionando idade ao peso. Os cães de pequeno porte, com até 10 kg, são considerados idosos a partir dos 7 ou 8 anos, enquanto os maiores, entre 26 e 35 kg, podem ser considerados idosos a partir dos 5 anos de idade.

    Nessa etapa de vida, podem aparecer alguns problemas, como artrose, surdez, cegueira, entre outras coisas. E é neste passar do tempo que os animais começam a perder energia e a ganhar alguns pelinhos brancos aqui e acolá, passando ainda a exigir alguns cuidados mais específicos que podem garantir algum tempo a mais de vida, ou ainda o mais importante: mais qualidade de vida para a velhice.

    O primeiro passo é, certamente, cuidar de sua alimentação, já que, assim como quando passam de filhotes para adultos mudam as suas necessidades nutricionais, na velhice o mesmo ocorre. A ração deverá ter um teor menor de gordura e, de preferência, ser especialmente feita para os cães idosos (ração sênior). Os cães podem começar a perder os dentes, e também por isso é importante dar uma atenção maior para a alimentação, já que com a dentição mais frágil, passa a ser mais difícil comer uma ração comum. Oferecer comida úmida também é uma excelente opção, uma vez que exige menos mastigação para a alimentação.

    Relacionado também à alimentação, o peso do animal deve ser sempre observado. Se cães jovens não devem ser obesos, os idosos menos ainda, pois seus ossos e músculos ficam mais frágeis, e com o sobrepeso podem surgir diversas doenças e problemas nesses. Ainda que estejam com os ossos mais frágeis, respeitando sempre o estado de saúde do seu amigo, as atividades físicas são essenciais. Passeios em parques, ou ainda na rua de sua residência, ajudam não somente no fortalecimento, mas na socialização e na saúde mental do seu cão.

    É bastante significativo manter o amor incondicional, pois ainda que o cãozinho tenha sido o seu melhor amigo, eles também sofrem de problemas de memória, tendo problemas, inclusive, para reconhecer algumas pessoas. É preciso ter paciência, pois nem sempre o ouvirão chamando, poderão não ter tempo para chegar no lugar certo para fazer as necessidades, ou ainda esquecer onde estão seus alimentos e a sua caminha.

    Para cães que ficam cegos, uma dica é bastante importante: não mude os móveis de lugar. Deixe tudo como ele está acostumado, pois assim poderá se localizar mais facilmente. A adaptação também é bem difícil para ele, não se esqueça disso. Além disso, não interrompa o sono de seu cão, e nunca o deixe de lado somente por estar velho: ele vai precisar ainda mais de você agora.

    As visitas ao veterinário, obviamente, são imprescindíveis, avaliando quesitos como a possibilidade de doenças comuns da idade mais avançada, ou ainda que são comuns em raças específicas. Algumas das doenças que mais comumente acometem aos cães idosos são a incontinência urinária, diabetes, insuficiência renal, gengivite, displasia de quadril e a artrite, além da cegueira, perda de sentidos e surdez. Podem ocorrer ainda alterações cardíacas, insuficiência renal e disfunções cognitivas (uma degeneração bastante similar ao Alzheimer).