Blog

    Produtos

    Lâminas e máquinas de tosa devem ser limpas e desinfetadas periodicamente

    Publicado em 29/03/2018



    A limpeza completa deve ser feita a cada 30 tosas, em média. O ambiente de trabalho deve ser limpo constantemente, mantendo a saúde e bem estar não somente dos animais, mas também dos profissionais que trabalham no local, assim como o equipamento usado.

    É essencial que seja criada uma rotina, fazendo com que essa limpeza e arrumação não sejam deixados de lado, e sejam feitos entre uma tosa e outra. Para limpar as lâminas, assim como a máquina de tosa, é essencial que sejam seguidas as instruções dadas pelo fabricante. A cada tosa, a lâmina deve ser removida e, com o auxílio de uma escova, os pelos devem ser retirados por completo do equipamento. A utilização do óleo lubrificante também é de suma importância. Estes, normalmente, cumprem a função de conservação, desinfecção e lubrificação. Conforme orientação de Alessandra, professora do Curso a Distância CPT Banho e Tosa em Cães e Gatos, “Você deve deixar as lâminas de molho no óleo desinfetante por dois dias, após limpá-las. Uma dica é deixá-las de molho no sábado, após o expediente, e retirá-las na segunda-feira. Seque bem as lâminas com papel toalha”.

    O procedimento é ainda mais rigoroso quando o equipamento for usado em animais com infestações ou doenças de pele. As lâminas deverão ser desinfetadas com amônia quaternária após o uso, deixando-as imersas no produto por um período de 15 minutos. Após, retirar e enxugar.

    Para a máquina de tosa, deve-se, uma vez ao mês, verificar o quanto do carvão foi gasto. Se for mais de ¾, a troca deve ser feita. Como citamos anteriormente, a limpeza completa da máquina é indicada a cada 30 dias, aproximadamente, mas a orientação varia, assim como no caso da limpeza, de acordo com a marca de máquina de tosa utilizada.

    A utilização da máquina, independente do modelo, deve observar alguns procedimentos. O pulso deve ser mantido flexível, pois desta forma, ainda que o animal se movimente de forma repentina, não haverá acidentes com relação ao corte e nem à machucados no pet. Ainda pensando em evitar cortes, deve-se manter a lâmina sempre plana com relação ao local que está sendo aparado. O corte deve acompanhar o sentido dos pelos, pois caso seja feita no sentido contrário, fará um corte mais curto do que o número da lâmina indica. Em pets enrugados ou com a pele mais flácida, além das articulações do animal, o ideal é esticar a pele antes de realizar a tosa, impedindo que entre nos frisos da lâmina. Preste atenção sempre à temperatura da máquina, que pode aquecer com o uso e acabar queimando a pele do animal. Existem produtos resfriadores para evitar situações como esta, mas que se usados com muita frequência, podem acabar cegando a lâmina. A sugestão, nestes casos, é ter mais de uma lâmina para que seja feita a troca e a aquecida resfrie naturalmente. Quando sem fio, as lâminas precisam ser afiadas por empresas especializadas neste tipo de serviço.